Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Sanear as dívidas



Sanear as dívidas
Estar endividado é o caminho mais curto para a perda da paz e da felicidade pessoal. É a perda da independência pessoal.
Como se chega nessa situação?
Gastar acima do que ganha. Despesa maior que a receita.
Cobrir o déficit com mais empréstimos e mais juros sobre juros.
Gastar emocionalmente. Sem se privar de nada e gastar para ter emoções.
Gastar por impulso emocional.
Não adiar a gratificação. Primeiro deveria poupar e depois comprar o que quer. Normalmente se gasta primeiro para ganhar depois. Isso cria situações de fragilidade já que situações caóticas sempre acontecem.
Não poupar para as situações caóticas.
Viver de esperanças irracionais. Discernir entre um planejamento racional e uma racionalização do que se deseja que aconteça.
O contrário de tudo isso é a prosperidade autossustentável. Prosperidade é um sentimento de ser próspero. Não é uma ideia, é um sentimento. A pessoa é próspera. Sente-se próspera em qualquer situação. Se por alguma razão perder tudo ganhará tudo de novo. Essa atitude é que deve ser o objetivo de todos. Se não tem essa atitude de nascença é possível aprender a ser próspero. Pois é uma crença. Como Morpheus disse: “Não pense, seja!”.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Resistência ao crescimento XII



Resistência ao crescimento XII
Imaginemos que uma pessoa está vivendo daqui a 100 anos e a situação dos terrestres é muito difícil. Todas as condições de vida pioraram sem parar. Essa pessoa tem a oportunidade de viajar no tempo e voltar para a nossa época. Quando ela chega aqui percebe que tudo que está acontecendo daqui a 100 anos está sendo germinado agora. Os acontecimentos e as atitudes que tomadas agora levarão à situação de daqui a 100 anos. Nada ainda está definido. O futuro é provável. O que ela faz? Fica indiferente e apática? Deixa tudo acontecer como se ela não soubesse o futuro? Usa o conhecimento do futuro para ficar milionária? Cuida só da própria vida?
Na séria Jornada nas Estrelas A Nova Geração temos um holodeck na Enterprise. No holodeck é possível transformar energia em matéria. Isso permite criar e vivenciar qualquer situação que se queira, com ambientes e pessoas absolutamente reais, já que estão materializados. É possível morrer no holodeck vítima de um tiro, por exemplo. Tudo é absolutamente real. A energia está materializada. A luz está congelada, como dizia Einstein. Isto é uma metáfora perfeita da vida na Terceira Dimensão. A nossa dimensão. Aqui a energia também está materializada. É o mesmo conceito. Lá é uma ficção científica, mas aqui é absolutamente real. Da mesma forma que as pessoas do holodeck acreditam que tudo aquilo é real, os humanos também acreditam que esta dimensão é real. Em última instância não existe nada material, só existe energia pura. A questão que se nos coloca é que nós precisamos perceber que estamos dentro de um enorme holodeck e vivendo nele como se fosse a realidade. É a Matrix. Quando percebemos a vida em outras dimensões da realidade é que saímos do holodeck. Então vamos para o mundo real e saímos da sala do holodeck. Enquanto achamos que a Terceira Dimensão é tudo o que existe estamos numa realidade virtual exatamente igual ao holodeck da Enterprise. Todos os grandes avatares que vieram acordar a humanidade falaram isso. E procuraram fazer com que as pessoas percebessem que estão num holodeck. Quando saímos do holodeck é que temos a vida real.
Ter uma filosofia de vida e não aplicar na vida prática é a mesma coisa que não ter filosofia alguma. Só é uma filosofia de vida se for aplicada e vivenciada. Pensar uma coisa e fazer outra é uma dissociação extremamente ruim. É evidente que existe um custo para aplicar uma filosofia na vida prática. É exatamente essa a situação quando acreditamos na vida após a morte e estamos num curso com o professor dizendo que não existe nada depois da morte. Se nos calarmos teremos o diploma, se falarmos que não é assim teremos problema com esse professor. O que fazer? Essa é a questão que temos de decidir todos os dias de nossa vida. E vivermos com as consequências das decisões que tomamos.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Resistência ao crescimento XI



Resistência ao crescimento XI
É comum aparecerem novas distrações ou problemas quando a pessoa decide crescer em alguma área. As crenças profundamente gravadas no inconsciente agem para impedir qualquer mudança no status quo.
A pessoa começa a criar todo tipo de situações para não ter que sair da zona de conforto e mudar.
É evidente que se a maioria das pessoas quisesse progredir aceleradamente em todas as áreas e em larga escala o planeta Terra seria de outro jeito. A dificuldade de fazer qualquer coisa mudar, evoluir, “andar” é extrema. Podem notar quanto leva para uma obra qualquer ser executada no planeta. Tudo é como um “parto”. Porque é assim?
Porque para crescer é preciso sair da zona de conforto todos os dias. Todos os anos. A vida inteira. Nunca estar confortável. Se impor desafios sem parar, fazendo coisas cada vez mais difíceis. Ler livros difíceis que aumentem a compreensão do mundo. Existem poucos desses livros, portanto todos tem tempo durante a vida para lê-los.
A única maneira de ter certeza de como é a realidade é testar por conta própria. Mergulhar no desconhecido para ter a experiência de primeira mão. O resto é conhecimento intelectual de ouvir falar, assistir aulas, ler livros, etc. Somente o conhecimento pessoalmente adquirido é válido. Para isso é preciso estar disposto a correr riscos, errar e voltar a tentar até conseguir o conhecimento. Qualquer outra coisa é crença que não tem fundamento. Tudo pode ser posto na mente para que a mente acredite. É de conhecimento geral que para pôr uma crença é preciso forçar um trauma doloroso e ao mesmo tempo afirmar o que se quer que a pessoa acredite. É como uma tortura, mas com fim de pôr uma crença. Quando a pessoa sofre uma dor o inconsciente se abre totalmente. Nesta hora tudo que for falado será gravado. Outra forma é a dialética. Conversar durante muito tempo, só que isso leva tempo e tempo é dinheiro. Então o que se prefere normalmente é o trauma consciente. Essa repetição é que grava as crenças.
Já sabem que uma coisa repetida n vezes passa a ter aparência de verdade. Por mais inverdade que seja. E a consciência cria a realidade da pessoa exatamente do jeito que está no seu inconsciente e nas crenças. Por isso sempre se usou as guerras, genocídios, terror, tortura, inquisição, extermínio de indígenas, escravidão, mutilação e tudo o mais para impor uma crença. Feito isso o resto é fácil para quem está manipulando. Isso é possível por causa da zona de conforto que se quer ficar.
Muito tempo atrás foi feito um filme sobre isso e a pessoa que estava sendo torturada e que queriam colocar uma crença na cabeça dela conseguiu um parafuso e o mantinha na mão para causar dor em si mesmo. Essa dor impedia a gravação da crença porque a pessoa estava sofrendo dor porque queria não ter a mente “lavada”. Portanto, a dor funciona nos dois sentidos. É por isso que sair da zona de conforto sempre é eficiente. Isso provoca dor, insatisfação, etc., e isso faz com que mantenhamos o que queremos na nossa mente e ninguém mais consegue mudar isso. Essa é uma forma. É preciso sofrer para manter a independência da nossa mente.
Outra forma é a alegria. A maneira de desprogramar a mente é ter alegria. Isso quebra a programação anterior. Tem de ser uma alegria profunda, pois tudo que grava no inconsciente tem de ser profundo e forte. Se tivermos alegria constante e profunda também será impossível mudar a nossa mente.
Portanto, existem várias maneiras de nos defendermos e colocarmos o que queremos na nossa mente. Para isso é preciso que haja uma escolha consciente de opção pela evolução e fazermos o que for preciso para evoluir. Custe o que custar. É preciso pagar o preço. Como se diz: não existe almoço grátis. No universo tudo é uma troca. Entra energia e sai energia. Para sair a energia do controle é preciso por outra energia no lugar. E energia é igual à informação. São dois lados da mesma moeda.
Desta forma, todos podem analisar o que acontece nas próprias vidas. Criaram carmas (débitos) no passado? Isso tem de ser resolvido e limpada essa energia. Um simples troco errado de um caixa de banco que deixamos passar e levamos o dinheiro conosco criará carma. O caixa será prejudicado e terá de pagar do próprio salário. Passar na frente dos demais numa fila de espera faz a mesma coisa. Atrasa a vida de todo mundo. Subir numa rua na contramão é a mesma coisa. E assim por diante. Presenciaram essas coisas ultimamente? Perceberam que isso passou a ser o normal? O que isso significa em termos sociais? Quais as consequências?
É por isso que quando as coisas não dão certo ou demoram para acontecer é preciso avaliar profundamente a própria vida e analisar esses eventos e todos os demais. É preciso limpar tudo isso e só uma mudança de consciência faz essa limpeza. Uma mudança de visão de mundo.
Se temos uma rua com contramão para subir e as duas ruas paralelas a ela são mão para subir, porque as pessoas teimam em subir na contramão? Se tanto de um lado como de outro elas terão de andar um quarteirão? Porque não andar o quarteirão antes de subir na contramão? Este é um pequeno exemplo, mas dá uma ideia do tamanho do problema que é mudar para crescer.
E perceber o quanto é difícil estudar mais, trabalhar mais, não fazer nada destrutivo, usar o tempo de maneira positiva, sem vícios e adições, conservando a mente focada em coisas positivas o tempo todo. Sempre lembrar que a vida da pessoa é exatamente igual ao conteúdo da própria consciência. Sem tirar nem por.  Se um vendedor acha que é fácil vender ele venderá, se acha que é difícil será difícil vender. Se um time entrar em campo pensando que já perdeu perderá. E assim em tudo na vida. Exatamente o que a pessoa pensa. Se a pessoa pensa que a vida não vale a pena, que melhor seria ir embora do planeta, ficar na praia sem fazer nada, etc., que tipo de vida essa pessoa terá? E tudo isso são crenças. A pessoa já testou se a vida é ruim? Ela já fez um esforço para mudar isso? Somente depois que fizer tudo que pode para melhorar é que poderá afirmar que a vida é ruim. Se não fizer o teste por si mesma não saberá a verdade.
É exatamente isso que o filme “Matrix” mostrou. A pessoa tem de querer sair da Matrix, senão ela não se desligará. E pensará que está vivendo uma vida quando na verdade está dentro de uma ilusão virtual. Logo estarão à venda os aparelhos de realidade virtual. E todos poderão confirmar o que está postado aqui.

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares